Início » Tendências SEO para 2021
Logo do Google Trends, principal ferramenta para analisar tendências SEO para 2021.

Tendências SEO para 2021

Se você trabalha com a otimização de sites, já deve ter visto que o Google anunciou algumas mudanças que entrarão em vigor em 2021. Além de valorizar a experiência do usuário acima de qualquer outra coisa, vamos explorar neste artigo algumas outras tendências SEO para 2021.

A prioridade para 2021 continua sendo os sites responsivos, que mostrem o mesmo conteúdo tanto em computadores quanto em dispositivos móveis.

O Google vem trabalhando para priorizar as páginas responsivas já algum tempo e havia anunciado que iria tornar a versão mobile como a principal versão a ser analisada em seu índice em Setembro de 2020.

Devido a pandemia do COVID-19, o buscador anunciou uma extensão de prazo para que todos possam fazer os ajustes necessários.

O “Mobile First Indexing” está previsto para Março de 2021.

As principais tendências do mercado SEO para 2021

  1. Combater a poluição visual
  2. Rich Snippets
  3. Boas práticas SEO para Javascript
  4. Foco nos Core Web Vitals
  5. Vídeos
  6. Google Meu Negócio

1. Combater a poluição visual (excesso de anúncios)

Tenho certeza de que hoje mesmo você já foi impactado por algum anúncio na internet. Seja num vídeo no YouTube ou uma publicação em seu feed do Facebook, todos nós internautas estamos expostos a anúncios.

“Poluição visual” é um termo relativamente antigo e pode ser definido como o excesso de elementos visuais aos quais somos expostos todos os dias, especialmente em grandes centros urbanos: são folhetos, anúncios, outdoors, banners, placas etc.

Uma imagem vale mais do que mil palavras:

Imagem da Times Square em Nova Iorque, repleta de anúncios por todos os lados.

Em meio a essa “fadiga de anúncios” – do inglês (ad fatigue) – a otimização de sites surge como a principal ferramenta para atrair potenciais compradores sem interferir na sua navegação rotineira.

Ao invés de apresentar o seu produto de forma “ativa” colocando seu anúncio na frente dos consumidores, com as ferramentas SEO você trabalha para atrair tráfego orgânico, no momento certo em que o usuário está interessado no seu produto.

2. Rich Snippets

Resultado de uma busca no Google por "receita brigadeiro" trazendo os resultados no formato de Rich Snippet.

Para que o Google entenda uma informação, você precisa preparar o seu código para se comunicar com o robô que vai indexar suas páginas.

Os Rich Snippets surgiram como um formato padronizado capaz de transmitir informações para o Google, melhorando a experiência dos usuários ao exibir resultados mais claros já nos SERPs.

Por exemplo, quando você busca por “Receita Brigadeiro”, você vai ver o resultado acima – de forma clara e organizada, com as avaliações da receita e o tempo de preparo. Agradeça ao bloco de dados estruturados de Receitas!

3. Boas práticas de SEO para JavaScript

Screenshot do Google Search Console para testar os sites ao vivo.

Com o avanço das tecnologias e o surgimento dos novos construtores de sites, diversas páginas contam com o poder do JavaScript para formatarem seus layouts, criar páginas dinâmicas e interativas.

Teste suas páginas para garantir que todo o código está sendo carregado corretamente e siga as boas práticas estabelecidas pelo próprio Google.

No Search Console, você consegue testar sua página “ao vivo” para enxergá-la da mesma forma que o buscador está enxergando.

Teste e valide antes de publicar!

4. Foco nos Core Web Vitals

Quando o tema é SEO, vale a pena reforçar: a prioridade é conteúdo de qualidade focado na necessidade e experiência do usuário.

Os Core Web Vitals são as 3 principais métricas que o Google utiliza para analisar um site:

  1. First Input Delay: o FID mede a velocidade com a qual o seu site está disponível para a primeira interação do usuário. Pontuação de First Input Delay
  2. Largest Contentful Paint: o LCP mede a velocidade de carregamento do maior elemento no seu site, imagem ou bloco de texto.Pontuação de Largest Contentful Paint
  3. Cumulative Layout Shift: o CLS mede como os elementos se comportam dentro do seu site e quanto isso interfere no layout inicial.Pontuação de Cumulative Layout Shift

5. Vídeos

O consumo de vídeos aumentou, e por isso, você precisa também oferecer vídeos para seu público.

Incorporar vídeos ao seu site é também uma maneira de conferir autoridade à sua página, enriquecendo o seu conteúdo.

Além disso, os vídeos do YouTube também tem destaque entre os resultados orgânicos – por isso, vale a pena investir numa estratégia multimídia e aprender a fazer SEO para YouTube.

6. Google Meu Negócio

Se você ainda não configurou sua conta no Google Meu Negócio (GMN), faça isso agora mesmo.

Por anos, o Google falhou em criar redes que competissem como Facebook – desativou o Orkut, Google Plus, Google Wave, Circles… Porém, a gigante do Vale do Silício continua investindo em uma forma de reter os usuários, e por isso, voltou suas atenções para a plataforma GMN.

Entre as vantagens de ter um perfil configurado, a principal está em mostrar sua localização no mapa.

Já percebeu como os resultados no mapa tomam grande espaço nas buscas orgânicas? O GMN é essencial para negócios locais.

Quer conhecer 29 estratégias SEO para otimizar seu site?

Adquira o e-book completo com as principais técnicas para colocar o seu site entre as primeiras posições no Google.

E-book Como Fazer SEO? na tela de um celular.

Por Lucas Riccieri

Trabalho com marketing há mais de 10 anos focado no desenvolvimento de marcas. Instagram|LinkedIn